A ADAC publicou o seu teste de pneus de inverno para 2023, a Continental ganhou, a Michelin ficou em segundo lugar

A ADAC publicou o seu teste anual de pneus de inverno, que alterou a sua metodologia desde o ano passado e se centra muito mais no ambiente e na sustentabilidade, que representa agora 30% da pontuação global, o que é muito. Devido aos diferentes critérios, os resultados tendem a ser diferentes em comparação com outros testes e este ano não é diferente no tamanho 225/45 R17.

O alinhamento

Foram testados 11 pneus, mas não vimos nenhum dos novos pneus Рo Nokian Snowproof ainda está listado aqui na sua primeira versão, apesar do Nokian Snowproof 2 ter sido lançado, e o GoodYear UltraGrip Performance 3 também está ausente, com a versão mais antiga GY UG Performance+ no seu lugar.

Em primeiro lugar, encontramos um pneu comprovado da Continental, o WinterContact TS870. Ganhou o primeiro lugar principalmente gra√ßas √†s suas caracter√≠sticas de manobrabilidade acima da m√©dia na neve, onde a ADAC √© uma das poucas a medir a dist√Ęncia de travagem no gelo, onde o j√° mencionado Continental se destaca. A segunda disciplina em que o pneu se destaca √© a resist√™ncia – que o ADAC prev√™ em 55.900 km.

O Michelin Alpin 6 vem em segundo lugar, um pneu que se sai ainda melhor na avaliação ambiental, principalmente por causa da sua quilometragem, que é projectada em 61.000 quilómetros. Mais uma vez, é também muito forte na travagem no gelo, uma disciplina que os outros testes tendem a deixar de fora. Comparado com o Continental, fica aquém, sobretudo em piso molhado, mas, de resto, continua a ser o segundo melhor do teste em termos de características de condução.

O GOODYEAR UltraGrip Performance+ é semelhante, mas não oferece tanta durabilidade e sustentabilidade, caindo para o terceiro lugar, atrás do Michelin. Seria interessante ver a comparação com o novo UltraGrip Performance 3. Em quarto lugar está um pneu introduzido em 2015, que não se tem saído tão bem nos testes mais recentes, mas que consegue ser bem sucedido aqui precisamente devido à sua ênfase no ambiente, particularmente na sua durabilidade. No entanto, em piso molhado, a sua classificação foi reduzida para satisfatória, o que piorou a sua pontuação global em termos de comportamento.

Bridgestone – noutro lado um vencedor, aqui em pen√ļltimo lugar – porqu√™?


Há muitos outros pneus no teste também. Recomendo que consulte a tabela completa no link abaixo, que lhe dará uma visão geral das qualidades de cada pneu. Mas ainda quero concentrar-me no resto, em como o BRIDGESTONE BLIZZAK LM005 pode ganhar alguns testes e noutros estar no fundo da tabela de partida, como aqui no teste ADAC. Isto mostra de forma demonstrativa como os testes de pneus devem ser vistos. Porque não se pode simplesmente tomar os resultados dos testes em ordem absoluta, é necessário interpretá-los para o seu caso de utilização específico.

Vejamos ent√£o os resultados do pneu Bridgestone mencionado – quando comparamos as disciplinas individuais com outros testes, os valores medidos s√£o semelhantes. Ent√£o, como √© que √© poss√≠vel que tenha ficado em 11¬ļ lugar? √Č devido √†s diferentes prioridades dos diferentes testes. O ADAC atribui √† pior sub-disciplina a classifica√ß√£o geral em ambas as disciplinas principais medidas. Assim, se um pneu obt√©m uma classifica√ß√£o de 4 na neve, n√£o pode obter uma classifica√ß√£o geral melhor do que 4. Foi o que aconteceu com o Bridgestone – obteve um 3,2 na neve, e isso deve-se √† travagem no gelo, que, como j√° dissemos, os outros testes n√£o medem. Devido √† l√≥gica do teste acima mencionada, o seu desempenho de travagem na neve acima da m√©dia n√£o ajudou, colocando-o num 3,2 global, e a categoria de desempenho ambiental foi ent√£o estragada pela sua quilometragem, que foi medida em apenas 36.100 km, a mais baixa do teste. Noutros testes, n√£o se sai t√£o mal, mas aqui isso deve-se ao facto de serem sobretudo pneus de turismo que foram apresentados no teste, enquanto noutros testes √© frequentemente confrontado com pneus UHP.

Resumo

Em termos gerais, ap√≥s a altera√ß√£o do mecanismo de pontua√ß√£o, os testes ADAC devem ser encarados de forma um pouco diferente – se a sua principal preocupa√ß√£o √© a maneabilidade, √© boa ideia analisar o teste pneu a pneu e avaliar quais os crit√©rios que s√£o importantes para si. Al√©m disso, consulte outros testes de pneus de inverno para 2023 para obter uma compreens√£o abrangente das op√ß√Ķes dispon√≠veis. √Č um pouco lament√°vel ver a aus√™ncia de modelos mais recentes, ou modelos estritamente para VE, quando se trata de avaliar o impacto ambiental. Mas esperemos que isso aconte√ßa na pr√≥xima vez.

Resultados completos dos testes aqui ->